E as férias da mamãe?

 Vladislav Muslakov/Unsplash

Vladislav Muslakov/Unsplash

Meus filhos vão entrar de férias (e aposto que os seus também). Eles até gostam da rotina que têm, mas estão cansados, então não veem a hora de relaxar. Entendo perfeitamente. Estão felizes da vida com a iminência da folga, fazendo planos para os dias em que poderão "ficar em casa o dia inteiro", jogar joguinho durante a semana, chamar os amigos no meio da tarde, comer na hora que for. "A gente vai poder comer tudo o que quiser", sonhou o pequetito durante uma conversa hoje cedo, obviamente confundindo alhos com bugalhos… Estão comemorando o fato de que poderão viver um dia inteiro sem planejamentos, sem horários, sem pressão, porque já viveram tempo suficiente pra conhecer o que há de melhor nessa vida…

Meu marido vai entrar de férias do trabalho. Está pressionadíssimo pelos prazos de final de ano, cansado, contando os dias para sair da rotina, pra relaxar e poder voltar suas atenções para essa coisa tranquila que é a nossa casa...  Claro, eu entendo. Depois de duas ou três noites bem dormidas, ele vai estar pronto para segurar por mais tempo a peteca com as crianças (oba!), e a gente vai acertar nossos planos de viagem, e ele vai passar semanas mais leve, mais descansado, porque vai inclusive tirar uns cochilos de tarde. Que coisa boa!

Mas, e as férias da mamãe?

Eu já fiz as contas: serão 52 dias de criança full time, 24/7, sem aquela bênção que é o pós almoço, quando todos foram pra escola e eu posso sentar no computador, trabalhar nas minhas coisas, alimentar o meu espírito (que, claro, não vive só de filhos). 52 dias sem poder escolher com calma e carinho o que vou comer no café da tarde, sem saber se vou conseguir retornar aquela ligação, sem poder dar aquela esticada vespertina no chuveiro. Ainda existem as vovós, ainda bem, e nelas está depositada toda a minha esperança de cochilo, mas milagres não existem… Se eu estou feliz pela mudança de rotina? Claro que eu estou, mas enquanto eles fazem seus planos, eu não consigo deixar de pensar que ainda vão precisar de ter quem faça essa tal comida que vão comer o dia inteiro, que ainda vão precisar tomar banho mesmo sem querer, e que isso pode ser algo muito dramático…

Mas, vamos lá, sem baixo astral. Fui eu que escolhi, e eu tenho grandes planos! Pretendo ser uma ótima mãe neste meio tempo, já fiz muitas promessas, inclusive! Vamos organizar passeios, vamos fazer uma deliciosa viagem, escrever um livro juntos, fazer panqueca de manhã e nos encher de beijos, a qualquer hora do dia, como se não houvesse amanhã. E vai ser uma delícia. Mas, aqui, faz favor, torce por mim!

Leia também: