Paciência, amor e feijão

 Jin.Dongjun via Visualhunt.com

Jin.Dongjun via Visualhunt.com

Era um dia daqueles que nos exigem mais do que a gente pensa que tem, e já se acumulavam mais de duas horas de passeio em família. Mãe, me dá isso, pai, me dá aquilo, quero ver esse, quero ver aquele, não quero ir no banheiro, quero colo, quero fazer xixiiii, quero o que meu irmão quer, não quero colo, me solta… e tinha chegado a hora do almoço. Diante do prato, se repetia a cena de escolhas e arrependimentos que já é rotina - quero feijão, não quero feijão, por que no meu prato não tem feijão? - e a mãe deu dois passos pra trás, sentou, respirou. O pai deu dois passos pra frente, driblou toda a resistência do pequetito, deu volta, fez avião, brincou de herói e ele comeu de tudo. Até feijão. 

Na cadeira dela, sem muita certeza de que aquela era conversa pra se ter com os filhos, a mãe disse simplesmente pro menino, como quem não consegue evitar…

- Olha lá… Você e seu irmão têm o melhor pai do mundo, né?
- E a melhor mãe também... 

Leia também: